quarta-feira, 21 de setembro de 2016

SETEMBRO AMARELO

Seguindo o terceiro ano consecutivo de iniciativa no Brasil, Setembro Amarelo é uma campanha organizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em conjunto com a Associação Médica Brasileira (AMB), o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Federação Nacional dos Médicos (FENAM) e outras entidades como o Centro de Valorização à Vida (CVV).
A ação visa a prevenção do suicídio e o combate ao estigma acerca do tema, visto que a cada 45 minutos um brasileiro tira a própria vida e a cada 40 segundos uma pessoa morre vítima de suicídio no mundo, totalizando, mundialmente, em mais de 1 milhão por ano e superando os números de mortos por homicídio e guerras juntos. Ainda sim, somos o 8º país no mundo em números absolutos de suicídios consumados e 17% das pessoas no Brasil já pensaram em se matar em algum momento da vida. Com dados tão alarmantes, a necessidade de divulgação e propagação da campanha tornou-se uma questão de saúde pública e dever social.

A cor e o mês para a campanha não foram escolhidos à toa, o amarelo representa a chama da vida e a esperança, já setembro, foi escolhido por ser o mês com maior índice de suicídios no mundo e em comemoração ao dia 10 de setembro (Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio). A iniciativa iluminou diversos pontos turísticos como o Monumento às Bandeiras, próximo ao Parque Ibirapuera, a Assembleia Legislativa, a Estação Sumaré do metrô de São Paulo, o Cristo Redentor e outros pontos importantes espalhados por todo o Brasil. Além disso, as instituições responsáveis pelo Setembro Amarelo promovem durante todo o mês seminários, palestras, bate-papos com médicos, apresentação de documentários, caminhadas e outros eventos a fim de mostrar que para mudarmos as estatísticas só depende de nós.



Segundo a OMS, 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados. Aqueles com pensamentos suicidas distorcem a percepção de realidade, possuem pensamentos negativos sobre si mesmo, do mundo e do futuro, e apresentam medo e preocupações excessivas. Por isso, é nosso dever apoiar emocionalmente, oferecer ajuda e indicar profissionais e voluntários que sejam mais capacitados para lidar com a situação e em momentos de crise.




No Brasil, é possível receber assistência gratuita nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), em algumas universidades, e entidades que prestam serviço social e acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Além disso, o Centro de Valorização da Vida (CVV) é referência em apoio e assistência emocional, recebendo até 800 mil ligações por ano através do telefone (141).


BEIJINHOS

12 comentários:

  1. Achei essa ação maravilhosa e de suma importância. Ótimo post.
    Beijos

    www.baudasresenhas.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei essa ação, com um tema super importante..

    www.iathilamarques.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que ação linda e tão importante pra sociedade! Infelizmente essa é uma triste realidade e que nós podemos mudar, conversando, aconselhando os outros e amando os aflitos. Ótimo post!
    Lainy Anselmo
    vozdonoivo.com

    ResponderExcluir
  4. Amei essa campanha e muito bom trazer um pouquinho sobre o assunto aqui no blog.

    blogamay.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela campanha, ótimo post.

    espacogospelblog1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Meu amigo tem falo muito sobre essa campanha para que as pessoas conhece mais sobre o assunto e também como ajudar.

    ResponderExcluir
  7. Essa campanha é um alerta muito importante!!Cada dia mais perdemos pessoas queridas!!Precisamos lutar pela vida sempre e de todas as formas!!

    ResponderExcluir